Um centro de mídia em casa

Montei um esquema para poder ouvir e assistir áudio e vídeo pela casa. Na verdade foi relativamente fácil mas, como não segui tutorial nenhum, tive que descobrir algumas coisas pelo caminho. Agora, nestes dias de descanso, achei legal escrever sobre como fiz para que os amigos possam fazer o mesmo, se quiserem.

Talvez, para alguns de vocês, o que fiz aqui seja trivial, mas tenho certeza que pode servir pra alguém. então, aí vai. 

O problema

Bem, meus arquivos de som e vídeo estão no meu micro do escritório e, embora eu tenha um HD externo parrudão, a ideia de muda-los de lugar — por exemplo, levando um note para a sala para ligar o note à TV pela HDMI — não me agradava. Então mantive tudo no escritório, no meu micro que fica a maior parte do tempo ligado. A ideia era de poder tocar tudo o que eu quisesse (arquivos de mídia guardados em meu micro, Netflix, YouTube etc), controlando tudo pelo celular. 

Os passos para tudo funcionar são os seguintes:

1. A sua rede local deve ser acessível tanto ao local com as mídias (no meu caso, o escritório), quanto ao local que vai toca-los (a sala). Para isso, fiz correr um cabo de rede entre o escritório e a sala. Poderia ter solucionado via wifi mas em casa existem muitas paredes entre os dois e o sinal que chegava era muito fraco. Passar o cabo e botar um roteador na ponta me pareceu a saída mais segura. Depois de tudo configurado, passei a ter acesso wifi pelo roteador da sala. 

2. Comprei e instalei um Chromecast, um aparelhinho do Google que transforma a sua TV em ponto de rede. Com a instalação do Chromecast, voce pode usar os serviços do Netflix, YouTube e alguns outros para assistir na TV. O controle do Chromecast é feito por um app instalado no seu celular. O Chromecast (aparelho) custa uns R$200. O software é gratuito. 

3. Para acessar os seus arquivos de mídia, você precisa do Plex, um serviço de gerenciamento de mídia integrado ao Chromecast. Você instala um servidor em seu micro que contém os arquivos de mídia e cadastra os arquivos. O Plex aceita tanto áudio quanto vídeo e é MUITO BEM FEITO. Você simplesmente diz pra ele: os arquivos estão nesta pasta, e ele infere qual filme é aquele, ou qual série, ou qual músico, e organiza tudo. Ele tem um serviço de cadastro que tenta inferir os dados dos arquivos de mídia. No Plex você também pode assinar conteúdos da web: um podcast, um videocast, um canal de vídeo, um canal de TV pela web (veja as imagens abaixo). Se você viu algo no YouTube que prefere assistir pela TV, basta clicar em um bookmarklet que vem com o servidor, e o video será exibido através do Plex quando você quiser. O controle do software Plex também é feito através de um software em seu celular, integrado ao Chromecast. O serviço básico é gratuito. Se você quiser alguns recursos adicionais, como o Plex Pass, terá que pagar. 

Este tal de Plex tem dois recursos muito legais. Um deles já falei, é a forma como organiza os arquivos. Ao identificar se trata, digamos, do filme Matrix, ele coloca uma imagem do filme para indexar a mídia e inclui um texto da web sobre o filme, encontra capas de CD e assim por diante. O outro é a facilidade de tradução de formatos de mídia. Não importa se o seu video está em .MP4, .AVI ou .MKV, o Plex faz a transcodificação em tempo real e coloca a imagem na tela. Ele também te dá opção de legendas: basta ter o arquivo de legenda .SRT que a opção será dada ao exibir o arquivo. 

4. Bem, agora, ligue a TV e seu celular. Se quiser assistir a um filme do Netflix é só ligar o app no celular. Ao escolher o filme, clique no ícone do Chromecast no canto da tela do Netflix que o filme será transferido para a TV. Se preferir assistir às suas próprias mídias, use ligue o Plex no celular. Vai acontecer o mesmo: depois de escolher o que vai assistir você vai ver o icone do Chromecast. Se clicar nele, o filme vai para a TV. O mesmo com o YouTube etc

5. Bem, o problema de disponibilizar suas mídias em casa está resolvido. Mas, já me ocorreu o seguinte: e se eu que quiser ouvir as minhas músicas pelo wifi da faculdade, ou de qualquer lugar fora de casa? Bem, pra isso, existe o Plex Pass, um recurso adicional do Plex que permite levar o acesso aos seus arquivos para além da sua rede local, sincronizar com outros serviços e mais algumas coisas. O Plex Pass tem um custo de $4.99 por mês ou $39.99 por ano. Ainda não testei o Plex Pass mas estou tentado.

Tutorial: instalação de blog wordpress usando cPanel e scripts do Fantastico deLuxe

Para alguns este tutorial é básico demais pois, com o painel de controle cPanel usado para gerenciamento de websites, a instalação de aplicativos PHP com MySQL se resume a pouco mais de um clique.

Mas, por outro lado, eu lembro que quando estava iniciando no ofício eu tinha medo de usar os recursos do cPanel e especialmente dos scripts Fantastico deLuxe. Este tutorial mostra como usar estes recursos.

Dos três tutoriais sobre instalação do WordPress, este é o mais simples. Se você dispõe destes recursos (cPanel e Fantastico) em seu plano de hospedagem, use-os sem medo. Caso contrário, não se desespere: assista aos outros tutoriais. Um deles ensina a instalação do WordPress em servidor remoto via FTP, manualmente.


Tutorial: instalação de blog wordpress em servidor remoto gratuito

Este tutorial explica como instalar o WordPress “manualmente”, isto é, sem auxílio de nenhum script de instalação (como o Fantastico, do cPanel).
Para isso, percorremos alguns passos: depois de escolher um serviço de hospedagem gratuito, baixo o WordPress, descompacto e faço a transferência para o servidor remoto usando FTP. Depois de subir todos os arquivos (o processo é demorado: são 650 arquivos), crio e configuro um banco de dados MySQL e configuro manualmente o arquivo wp-config.php para a conexaõ entre WordPress e MySQL. Finalmente, instalo o WordPress, crio um novo usuário e publico o primeiro post.

É preciso dizer que, apesar de eu ter usado um servidor gratuito para o tutorial, o processo é análogo ao usado em servidores pagos. O que pode variar é a localização de alguns ícons no painel de controle.

 

Tutorial: instalação de blog wordpress em pendrive com servidor portable

Já tive que apresentar um site dinâmico (que usa banco de dados para armazenar conteúdo e é gerenciado pelo proprio cliente) para um cliente e fiquei pensando que seria bom ter um servidor portátil com o site nele, em vez de ter de instalar o site no meu servidor de forma provisória.A ideia é que eu andasse com o meu pendrive e fizesse o site brotar dele, dinâmico e fácil de editar.

Bem, como diriam os cacetas: meus problemas acabaram!

Depois de andar produrando por aí, encontrei não uma, mas algumas soluções de servidores do tipo WAMP (Windows, Apache, MySQL e PHP) portáteis. Aí vão alguns links de servidores portáteis:

Server2go

XAMPP portable

UniServer

UsbWebServer

Testei os quatro e fiquei com o que me pareceu mais bem feito e enxuto, o UsbWebServer.

Aí resolvi preparar um tutorial para meus alunos na faculdade e para todo mundo que estiver interessado. Ele mostra o passo-a-passo de instalar um servidor portable num pendrive e um blog wordpress dentro dele. Espero que curtam.

Do Photoshop ao WordPress

Aproveitei uns dias de férias para estudar um pouco um workflow para elaborar CMS mais facilmente. Encarei um tutorial excelente, sobre como montar um tema para WordPress a partir de uma imagem da interface feita em Photoshop… Foi muito bom! E um outro tutorial sobre como flexibilizar o uso do WordPress para que ele sirva de CMS. Também ótimo. Pra quem gosta de testar novas soluções de CMSs, aí vai a dica: topei com uma solução de CMS muito interessante, o MODx. Ele tem cara de blog, mas promete muito mais. Vale a pena conferir. Caso você se aventure, deixe um comentário com a sua experiência. um abraço