Blog

Tutorial: instalação de blog wordpress usando cPanel e scripts do Fantastico deLuxe

Para alguns este tutorial é básico demais pois, com o painel de controle cPanel usado para gerenciamento de websites, a instalação de aplicativos PHP com MySQL se resume a pouco mais de um clique.

Mas, por outro lado, eu lembro que quando estava iniciando no ofício eu tinha medo de usar os recursos do cPanel e especialmente dos scripts Fantastico deLuxe. Este tutorial mostra como usar estes recursos.

Dos três tutoriais sobre instalação do WordPress, este é o mais simples. Se você dispõe destes recursos (cPanel e Fantastico) em seu plano de hospedagem, use-os sem medo. Caso contrário, não se desespere: assista aos outros tutoriais. Um deles ensina a instalação do WordPress em servidor remoto via FTP, manualmente.


Tutorial: instalação de blog wordpress em servidor remoto gratuito

Este tutorial explica como instalar o WordPress “manualmente”, isto é, sem auxílio de nenhum script de instalação (como o Fantastico, do cPanel).
Para isso, percorremos alguns passos: depois de escolher um serviço de hospedagem gratuito, baixo o WordPress, descompacto e faço a transferência para o servidor remoto usando FTP. Depois de subir todos os arquivos (o processo é demorado: são 650 arquivos), crio e configuro um banco de dados MySQL e configuro manualmente o arquivo wp-config.php para a conexaõ entre WordPress e MySQL. Finalmente, instalo o WordPress, crio um novo usuário e publico o primeiro post.

É preciso dizer que, apesar de eu ter usado um servidor gratuito para o tutorial, o processo é análogo ao usado em servidores pagos. O que pode variar é a localização de alguns ícons no painel de controle.

 

Tutorial: instalação de blog wordpress em pendrive com servidor portable

Já tive que apresentar um site dinâmico (que usa banco de dados para armazenar conteúdo e é gerenciado pelo proprio cliente) para um cliente e fiquei pensando que seria bom ter um servidor portátil com o site nele, em vez de ter de instalar o site no meu servidor de forma provisória.A ideia é que eu andasse com o meu pendrive e fizesse o site brotar dele, dinâmico e fácil de editar.

Bem, como diriam os cacetas: meus problemas acabaram!

Depois de andar produrando por aí, encontrei não uma, mas algumas soluções de servidores do tipo WAMP (Windows, Apache, MySQL e PHP) portáteis. Aí vão alguns links de servidores portáteis:

Server2go

XAMPP portable

UniServer

UsbWebServer

Testei os quatro e fiquei com o que me pareceu mais bem feito e enxuto, o UsbWebServer.

Aí resolvi preparar um tutorial para meus alunos na faculdade e para todo mundo que estiver interessado. Ele mostra o passo-a-passo de instalar um servidor portable num pendrive e um blog wordpress dentro dele. Espero que curtam.

Do Photoshop ao WordPress

Aproveitei uns dias de férias para estudar um pouco um workflow para elaborar CMS mais facilmente. Encarei um tutorial excelente, sobre como montar um tema para WordPress a partir de uma imagem da interface feita em Photoshop… Foi muito bom! E um outro tutorial sobre como flexibilizar o uso do WordPress para que ele sirva de CMS. Também ótimo. Pra quem gosta de testar novas soluções de CMSs, aí vai a dica: topei com uma solução de CMS muito interessante, o MODx. Ele tem cara de blog, mas promete muito mais. Vale a pena conferir. Caso você se aventure, deixe um comentário com a sua experiência. um abraço

Servidor WAMP portable

Estava com um problema que era o de dar aulas sobre CMS em salas de aula onde existe uma grande dificuldade em instalar um servidor WAMP, isto é, um servidor web com suporte a PHP e banco de dados MySQL. Pesquisando um pouco encontrei alguns servidores portáteis, que posso colocar em meu pen drive ou HD externo. Entre eles, o que mais me agradou foi o USB Web Server.

Acabei percebendo que posso mesmo usar estes servidores para mostrar um projeto de CMS para um cliente ou amigo sem a necessidade de levar um notebook, bastando um pen drive.

Se te interessar, dê uma olhada no site deles e baixe o pacote para testar. Não se espante com o site em holandês, pois o servidor tem suporte para o idioma inglês.

O seu navegador está com um problema

Há um bom tempo o Internet Explorer (IE, para os íntimos) é o navegador mais difundido entre os usuários. Isso é fato, estatística. Outro fato é o seguinte: existem outros navegadores: o Firefox, o Opera, o Safari, e mais algumas dezenas de outros. E alguns deles interpretam o código (HTML e CSS) de forma diferente.

Este fatos, simples e corriqueiros, têm um grande alcance.

Os designers e desenvovedores de sites têm que lidar com o fato de que os navegadores interpretam o código de forma diferente, tentando elaborar um código que produza mais ou menos o mesmo resultado nos diferentes navegadores. Isto é, tentam produzir um código que gere uma página que funcione independentemente do navegador do usuário. Read More

RSS

RSS significa Really Simple Syndication, e é baseado na linguagem XML.

Um arquivo RSS é uma lista de entradas de conteúdo. Um site de notícias ou uma revista online usam arquivos RSS para que seus leitores possam ter um clipping das notícias publicadas. Do mesmo modo, se você tem um site de conteúdo dinámico, um site com CMS, por exemplo, provavelmente vai querer gerar um arquivo RSS. Geralmente os sistemas de gerenciamento de conteúdo (os CMSs) geram o RSS automaticamente, assim como Blogs e wikis.

Mas você quer mesmo é usar o RSS, não é?

Você precisa de duas coisas para poder usar RSS: primeiro, precisa de um leitor de RSS, e depois precisa assinar um conteúdo qualquer. Read More

web 2.0, versão carochinha, parte 2

Parte 2: software livre e ideologia

Era uma vez, existiam poucos redatores para a web, e muitos leitores. É fácil perceber que, ao concentrar a fonte do conteúdo, concentra-se também poder: o poder de publicar, o poder sobre a informação. Mas para publicar algo na web há algum tempo, você tinha que ter um domínio na web, tinha que conhecer HTML ou poder contratar um web designer…

Com o surgimento do CSS e do CMS , como foi mencionado anteriormente, as coisas mudam. Com o conteúdo separado da forma de uma página, a publicação fica muito mais fácil. Passam a existir serviços gratuitos de blogs, onde qualquer um pode publicar o que quiser. Mesmo funcionários de emrpesas de vez em quando publicam informação interna, valendo-se de seu anonimato, e tornando este tipo de notícias muito mais interessante. Read More

Web 2.0, versão carochinha, parte 1

Parte 1: design e conteúdo

Era uma vez, existiam poucos redatores para a web, e muitos leitores. Como resultado, os leitores iam diretamente a um certo site para saber sobre um certo assunto… Iam á Folha de São Paulo para ler notícias, iam ao Webmonkey para saber sobre deisng web, iam á UOL para saber da programação dos cinemas…

No design web, as páginas eram feitas de HTML puro, seu layout com tabelas, a formatação com tags <font>… Conteúdo e forma eram tratados do mesmo modo, um após o outro…

Duas demandas, no entanto, estavam latentes e pulsando. De um lado, o público queria poder publicar conteúdo na web, nem que fosse só para botar no ar a foto do recém-nascido para os parentes distantes verem… escrever um conto, ou mesmo publicar um artigo. Do outro lado, desenvolvedores tinham que gerenciar grandes quantidades de conteúdo, e fazer com que este conteúdo, criado por redatores diferentes, fosse publicado na web mantendo um mínimo de coerência de formatação. Eles precisavam de algo que assegurasse essa agilidade e a manutenção do formato gráfico. Eram problemas humanos, do cotidiano de quem botava parte de sua vida na web… Read More

Wikipedia reconhecida

De acordo com a revista científica Nature, cientistas acham que a Wikipedia é tão confiável quanto a Encyclopaedia Britannica

A Wikipedia é uma enciclopédia editada por todos… por qualquer um. Essa perspectiva, num primeiro momento, nos levaria a um descrédito, já que ninguém garante a confiabilidade da informação lá publicada. Mas, surpreendentemente, ela se mostra incrivelmente confiável!!! Um voto de confiança às wikis e especialmente aos usuários que as editam!

Para quem sonha com uma internet que, entre outras coisas, seja uma rede de consulta do conhecimento humano feita por todos, o passo está dado… Veja mais nestes artigos em whatistheword e na MSNBC…’

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial